Sete motivos para ir para Caraíva

motivos para ir para Caraíva: Praia do Satu

Caraíva é um destino único no litoral brasileiro (para alguns, o melhor!) e não faltam motivos para ir até lá.

Existem aqueles que vão pelo clima relaxado e sem frescuras da vila, com ruas de areia onde só se circula a pé ou de charrete. Para outros, o ponto alto é a badalação e a noite animada pelo forró. Ninguém se esquece do pôr do sol nos restaurantes de frente para o rio. Todos se encantam com as belezas naturais e com a receptividade dos moradoras da vila: baianos e de tantos outros lugares.

São muitos os que chegaram a passeio e acabaram fazendo de Caraíva seu lar. O povoado é uma mistura de índios pataxós, baianos, paulistas, mineiros, gaúchos, gringos… enfim, gente de todos os cantos.

Isso mostra como é fácil listar motivos para ir para Caraíva. Difícil é encontrar uma razão para ir embora depois.

Eu amo Caraíva

Motivo 1. O charme da vila

Estive em Caraíva duas vezes no começo dos anos 2000. A luz elétrica ainda não chegava até a vila e algumas pessoas até preferiam que continuasse assim. Tinham medo de que o “progresso” viesse para matar a personalidade do lugar.

Pois veio a luz, algumas pousadas mais sofisticadas, muito mais gente apareceu, mas Caraíva sobreviveu com seu charme intacto! Protegida em uma espécie de península, com o mar, o rio e a tribo Pataxó escoltando seus lados e deixando seu conjunto de poucos quarteirões quase que parado no tempo.

Sorria você está em Caraíva, Caraíva Republic
Sorria você está em Caraíva

Sinal de celular? Pega Vivo em pouquíssimos lugares. Nos restaurantes e pousadas tem wi-fi. Mas não se apegue a isso! Parte do prazer de Caraíva é se desconectar do mundo. E isso começa já na clássica chegada à vila de canoa.

Nós chegamos de noite e, para quem vem pela estrada de Porto Seguro (a maioria das pessoas), o carro só vai até o outro lado do rio. O trajeto final é feito de canoa (R$5). Era lua nova e a escuridão era completa enquanto a gente cortava lentamente a água. Seguimos em silêncio, embaixo de um céu de um bilhão de estrelas.

Do outro lado, as ruas são de areia, arborizadas. Não há iluminação pública e, acreditem, isso é uma super qualidade! Um astral incrível. Tudo simples, mas de certa forma aconchegante. Você logo se sente em casa. Estão todos de chinelos ou descalços, caminham sem pressa e se cumprimentam quando cruzam.

Os caminhos pela vila

Motivos para ir a Caraíva: o charme da vila

É fácil encontrar seu caminho pela vila. Para um lado, o mar e os bares que concentram o público durante o dia. Para o outro lado, o rio, com restaurantes, barraquinhas e forró. É para onde as pessoas vão no fim da tarde e voltam para a noite que segue madrugada a dentro.

No coração do povoado, uma linda igrejinha e um campo de futebol com casinhas charmosas em volta. E logo se chega aos limites da tribo Pataxó. Onde, além dos pataxós de fato, vivem muitos dos que se mudam para a cidade.

É nos detalhes que se percebe como as pessoas que vivem em Caraíva gostam de lá e o carinho com que cuidam do povoado. Jardins, plaquinhas, enfeites. O charme da vila de Caraíva está por toda parte.

Duca é uma artista plástica que mora em Caraíva e ela certamente fará parte da sua experiência lá. A obra dela está em murais, janelas, orelhões antigos e todo tipo de “tela”. Está nas pousadas, nas ruas e até na casa em que ficamos.

Motivo 2. As praias de Caraíva

Uma vila charmosa faz toda a diferença, mas sejamos sinceros, ninguém encara várias horas de viagem para chegar ao sul da Bahia pensando só na vibe do povoado, certo?

Quem vai para o sul da Bahia quer praia! E Caraíva tem praias lindas e está próxima de outras ainda mais espetaculares. Mas, vamos por partes. O motivo número 2 são as praias que estão logo ali, a menos de 10 minutos de praticamente qualquer ponto da vila.

Motivos para ir para Caraíva: as praias de Caraíva

Arco íris na praia de Caraíva
Não é todo dia que se tem um arco-íris assim pra chamar de seu

A praia de Caraíva tem uma faixa larga de areia (bom para a Bia correr à vontade) e mar bravo (aí já atrapalhava para ela entrar). Logo no começo, existem dois bares que oferecem uma boa estrutura, ótima atmosfera e boas opções para beber e comer. Nós viramos fregueses e fizemos amigos no Bar do Coco. E, bem ao lado, o Bar da Praia tem uma boa piscina que, pagando, pode usar.

Esse pedaço fica agitado na alta temporada, mas como estivemos em agosto, estavam bem tranquilos. De qualquer forma, basta caminhar para a direita para encontrar outros bares e pousadas com estrutura aberta ao público, trechos de praia deserta e, na maré baixa, lindas piscinas naturais para curtir sem se preocupar com as ondas.

Seguindo na direção oposta, logo se chega na praia da Barra. Um braço de areia que tem o mar de um lado e o rio Caraíva do outro. É o destino certo para o fim da tarde com um pôr do sol inesquecível. Mas esse canto especial da Bahia fica lindo o dia inteiro.

Praia da Barra, Rio Caraíva, Caraíva-BA

Praia da Barra Rio Caraíva
Foi por momentos como esse que embarcamos nesse estilo de vida.

Quando a maré está subindo ou descendo, o rio forma uma correnteza forte. Mas nos intervalos, principalmente na maré baixa, é irresistível para um mergulho com a filhota no colo.

Existem umas barraquinhas simpáticas e bem montadas que oferecem sombra, cadeiras e mesas na Praia da Barra. Mas não recomendamos comer por ali. Melhor segurar um pouco e aproveitar um pastel no Boteco do Pará, uma esfirra ou uma tapioca super recheada na volta pra vila.

Barracas Praia da Barra, Caraíva, Bahia

Motivo 3. As praias da região

As praias de Caraíva são lindas, mas o motivo 3 dependerá de você ir um pouco mais longe e explorar o que a região tem a oferecer. Não importa se o forró seguiu até o amanhecer, pule da cama e tome o rumo sul ou norte pela praia. Os dois lados te levarão ao paraíso.

Uma caminhada clássica, eu diria quase obrigatória, é até a Praia do Satu. Atravesse o rio em uma canoa ou, se a maré permitir, atravesse pela água mesmo. E siga caminhando por uma sequência de praias maravilhosas e praticamente desertas.

Cerca de 4km (mais ou menos 1h caminhando) depois, você chegará à Praia do Satu. Ali, começam a se formar falésias de um lado e piscinas naturais do outro. Um espetáculo. Além disso, ainda existem lagoas em meio à mata bem ao lado da praia. Logo no começo, dois ou três barzinhos podem salvar quem quiser beber e comer alguma coisa.

Olho nas marés

Programe-se para estar NAS PRAIAS NA maré baixa. Além de ser muito mais bonito, é muito melhor para caminhar.
A CADA dia as marés ocorrem em horários diferentes, sempre cerca de 48 minutos mais tarde que o dia anterior. Confira a tábua de marés e TENTE ENCAIXAR SUAS CAMINHADAS ENTRE 1H30 ANTES E 1H30 APÓS O PICO DA MARÉ BAIXA.

Praia do Satu e Praia do Espelho

A caminhada até o Satu (ida e volta) leva de 8 a 12km, dependendo de até onde você seguir pela praia, que é longa. Nós consideramos tranquilo. Fizemos levando a Beatriz e não foi puxado (lembrando que aproveitamos a maré baixa e não tivemos que andar na areia fofa!).

Lagoa do Satu, Praia do Satu, Caraíva
Bia explorando a Lagoa do Satu, que fica a poucos passos do mar

Agora, se estiver com disposição, não deixe de esticar mais 5km e ir até a famosa Praia do Espelho e sua vizinha Curuipe. O caminho já vale à pena: mais praias desertas, travessia de rios e trechos sobre as falésias. E, chegando lá, você estará em um dos lugares mais bonitos do Brasil. Atenção que, de novo, a praia do Espelho só revela sua verdadeira beleza na maré baixa.

Ir e voltar caminhando (18 a 20km) é até possível. Cheguei a fazer isso no passado, mas te deixa com pouco tempo para de fato curtir as praias. Hoje, com a Bia, não é sequer uma possibilidade. Dá para ir andando para aproveitar o trajeto e voltar de ônibus (confirme os horários antes de ir). Ou ainda reservar um táxi para te levar, esperar algumas horas e trazer de volta por R$250. Nós fomos de carro, acrescentando uma parada no nosso caminho de Caraíva para Trancoso.

Ponta do Corumbau

Na direção oposta, saindo da vila de Caraíva, são 9km até a Ponta do Corumbau. Chegando lá, também tem uma travessia a fazer de canoa (R$10 ida e volta) e uma paisagem de rio, mar e bancos de areia de tirar o fôlego.

A “ponta” propriamente dia é uma faixa de areia que entra até 2km mar a dentro. Único! Caminhar com mar dos dois lados em uma ponte de areia que se forma e submerge duas vezes ao dia. Já mencionei que essas praias são realmente bonitas na maré baixa? No caso da Ponta do Corumbau isso é ainda mais importante.

Depois de explorar esse pedaço, dá para passar um tempo na Praia do Corumbau. É mais uma beleza desse imenso litoral baiano. Existem restaurantes e pousadas por ali também.

A caminhada ida e volta seria bem puxada porque a praia é íngreme e a areia é fofa. Embora esteja a só 9km, não há estrada para ir direto e seria preciso dar uma volta de (acreditem) mais de 120km, somente ida.

Então, resta apenas uma opção: seguir pela praia de buggy. O preço (R$180 a R$200) é bem salgado para um trajeto tão curto. Mas o caminho é bem bonito e o vento na cara tem seu valor. Na volta, dá para pedir para incluir uma parada na Prainha (vejam mais adiante sobre a Prainha).

Motivo 4. O rio Caraíva

O rio é provavelmente o principal personagem de Caraíva. E isso fica claro desde a chegada na vila. Você embarca em uma canoa para atravessá-lo e, como por mágica, desembarca do outro lado já um pouco mais relaxado e transformado.

Motivos para ir para Caraíva: o Rio Caraíva

No trecho em que está o povoado, a margem esquerda do rio concentra o comércio, a vida noturna e uma porção de restaurantes, ateliês e lojinhas. Mais perto do mar, começam os manguezais e o pedaço em que a beira rio vira praia, com a melhor opção para cair na água de Caraíva.

O cenário é lindo e se transforma completamente com a mudança das marés. O pôr do sol é um clássico, mas por algum tempo ainda vou lembrar com saudades de caminhar pela sua margem na calma das primeiras horas da manhã.

Dentro do rio

E o rio Caraíva ainda oferece mais. É possível alugar um stand up, dar um rolê de canoa havaiana e, o mais tradicional, se deixar levar pela correnteza embarcado em uma boia!

O passeio de boia é uma imersão na natureza. Um contato íntimo com o rio e a exuberância dos manguezais e da mata atlântica do entorno. As farras memoráveis do Carnaboia e sua pequena multidão em boias de todos os tipos foram proibidas. Mas ainda é possível contratar uma lancha para te deixar na Prainha e descer o rio aproveitando a maré vazante até a correnteza te levar de volta pra vila.

A Prainha é uma linda faixa de areia branca alguns quilômetros rio a dentro que permite curtir Caraíva de uma outra forma. É possível também ir da Vila até lá a pé ou, como já comentei, em uma parada na volta do passeio de buggy para Ponta do Corumbau.

Motivo 5. As opções para comer

Os restaurantes de Caraíva são um motivo por si só para ir lá. E não é por serem sofisticados ou terem uma cozinha excepcional. A comida é saborosa, porém simples. Comer em Caraíva se torna especial pelo astral inigualável que os lugares têm.

Motivos para ir para Caraíva: os restaurantes na beria do Rio Caraíva

Pratos pataxós, baianos e mais uma mistura trazida por pessoas de diferentes lugares são servidos em mesinhas ao lado do rio. Para todo lado há uma vista incrível. O atendimento é de amigo para amigo e as pessoas conversam com quem está nas mesas ao lado. Momentos que serão lembrados por muito tempo.

Alguns tira-gostos são clássicos que precisam ser experimentados. Nossa preferência era pelo acarajé do Bar do Coco (R$65) durante o dia. O pastel de arraia no Boteco do Pará no pôr do sol (R$10 ou R$12 com queijo). E, de noite, a tapioca da Paty (R$20), que vale por uma refeição.

Para o jantar, o queridinho de todos é o Jacarandá (R$200 a R$250 para dois). De modo geral, os preços nos restaurantes são altos, mas existem também muitas opções de pratos executivos. O restaurante Beira-Rio era nosso preferido com pratos entre R$28 e R$35.

Para quem quer cozinhar em Caraíva, como era o nosso caso, a oferta é limitada. Nos mercados, as opções eram bem restritas e alguns dias tivemos que rodar a vila em busca de uma fruta madura ou alguma variedade de legumes. Mas deu pra gente se virar e preparar as refeições da Bia, embora com muita repetição nos pratos.

Motivo 6. O arrasta-pé

Caraíva está virando um destino cada vez mais badalado e a fama de sua noite só cresce. Ainda é um lugar muito tranquilo a maior parte do ano, mas já dá para dizer que bomba no verão, em especial no réveillon e no carnaval.

E, para muitos, o forró é uma razão fundamental para passar uns dias por ali.

O aquecimento começa nas barraquinhas ao longo do rio, ganha força nas casinhas coloridas do Beco da Lua e já de madrugada é que o arrasta-pé começa. O Forró do Pelé se revesa com o Ouriço para receber dos forrozeiros mais escolados até uns gringos desengonçados aprendendo seus primeiros passos.

Em agosto, a época que fomos, só funciona no final de semana. Porém, devo confessar, com uma filha de um ano em casa, um forró que começa de madrugada em nenhum momento fez parte dos nossos planos.

Para todos os outros que podem desfrutar disso, a noite em Caraíva é animada!

Motivo 7. O clima relaxado

Finalmente, o motivo pelo qual você não vai querer ir embora de Caraíva: o clima relaxado.

Motivos para ir para Caraíva: o clima relaxado

Sem carros ou motos, outros sons se destacam. O canto dos pássaros, o rio correndo, o barulho do mar. Sem pressa ou estresse, as pessoas são mais amigáveis. Não se julgam, nem cuidam da vida alheia. Sem os riscos de uma cidade grande, todos se sentem mais seguros e ficam mais abertos ao outro.

Esse clima vai contagiando e logo você também estará de pés descalços e sorriso no rosto, cumprimentando as pessoas na rua no melhor estilo “gentileza gera gentileza”.

Não é por acaso que tanta gente resolve fazer do povoado seu lar. Gente com grana que monta uma pousada ou restaurante e gente sem grana que busca emprego em pousadas e restaurantes.

Nós mesmos ficamos três semanas, mas deu vontade de ir ficando mais. Assim que fechamos que nossa vida nômade começaria pelo Nordeste, decidimos que Caraíva seria o primeiro destino. Temos um relação toda especial com a Bahia, já fomos muitas vezes. Mas, Caraíva é única. Tem um jeito, uma energia boa, que combina demais com o início de um projeto.

  • Dicas práticas de Caraíva no próximo post (clique aqui)
Abraço de pai e filho

tresmochilaspelomundo

5 comentários em “Sete motivos para ir para Caraíva

  1. Fred, Letícia e pequena Beatriz…
    Cá estou eu aqui outra vez acompanhando as aventuras de vocês e isso é muito legal. Viajo com a forma que vocês vão contando a trajetória de vocês. Adoro 💞
    Estarei sempre por aqui acompanhando, até porque acho fantástica essa escolha de vida de vocês. Para mim é de muita coragem. Parabéns!!! 👏👏

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: