Final de semana em Capitólio

Em um final de semana em Capitólio, você fará passeios de lancha nas águas verde esmeralda da represa de Furnas, passando por cânions magníficos e cenários deslumbrantes. Conhecerá algumas cachoeiras e piscinas naturais de água cristalina. Comerá uma boa comida mineira. E voltará pra casa com um gostinho de quero mais. Capitólio recentemente foi descobertaContinuar lendo “Final de semana em Capitólio”

As praias de Pipa

As praias de Pipa entram facilmente para a lista das mais bonitas do Brasil. E o que não faltam são falésias para apreciá-las do alto. São vistas que sozinhas já valem a viagem. Isso sem falar no astral relaxado da vila. Não é por acaso que Pipa se tornou a grande estrela do litoral doContinuar lendo “As praias de Pipa”

Sete motivos para ir para Caraíva

Caraíva é um destino único no litoral brasileiro (para alguns, o melhor!) e não faltam motivos para ir até lá. Existem aqueles que vão pelo clima relaxado e sem frescuras da vila, com ruas de areia onde só se circula a pé ou de charrete. Para outros, o ponto alto é a badalação e aContinuar lendo “Sete motivos para ir para Caraíva”

Caindo na estrada

A gente ainda nem tinha colocado o pé na estrada e nossa vida já havia se transformado radicalmente. Até o final de maio, tínhamos empregos, a Bia estava na creche e nossa rotina era bem “tradicional”. A vida nômade era apenas um grande plano. Em junho, tudo mudou. Faltando duas semanas para entregar o apartamento,Continuar lendo “Caindo na estrada”

Os primeiros passos para uma vida nômade

O primeiro passo para nos tornar nômades digitais foi entender o que isso significa. A impressão inicial não poderia ser melhor: trabalhar remotamente e viver onde quiser! Mas isso seria mesmo possível?
Financeiramente, é viável?
E a pergunta principal: como conciliar a vida nômade com uma filha bebê que ainda nem havia nascido?

Começando uma nova vida

Essa coceira. A necessidade de seguir em frente, mudar de vida. A gente carrega essa insatisfação, esse incômodo permanente com a ideia de ficar parado. Não é a primeira vez que deixamos para trás a vida “estável” com casa, empregos e caminhos pré-formatados para nos aventurar pelo mundo.